Filmes e Religião

Assistir filmes é uma questão sensível para muitos cristãos. Alguns rejeitam todo tipo de filme, e há outros que não rejeitam filmes de nenhum tipo. Isso não significa que não haja padrões para um cristão quando se trata de filmes, mas indica que é necessário equilíbrio e discernimento quando o assunto é esse[1].

Os filmes são um meio poderoso de comunicação e têm um profundo impacto na cultura. Histórias contadas através de filmes podem capturar nossa atenção e estimular nossa imaginação como nenhuma outra mídia faz.  Assistir a um filme é diferente de estar em um museu observando uma obra-prima. Eles têm imagens e sons dinâmicos que captam os nossos sentidos de uma forma que perdemos a percepção do mundo à nossa volta.

Os filmes facilitam a memorização de histórias e simplificam a compreensão de conceitos complexos ou abstratos. Anos depois de assistir um filme é possível lembrar dos detalhes que mais nos impactaram e recontar a mesma estória[2].  Além disso, eles também têm o poder para influenciar o comportamento das pessoas para o bem ou para o mal. Alguns dos roubos e crimes mais elaborados da atualidade foram inspirados em filmes[3]. Sendo assim, se os filmes tem essa capacidade tão grande de influência, será que também podem ser eficazes no ensino de valores morais e espirituais?

Crescimento do consumo de filmes

Foi a partir de 1950 que os aparelhos de TV se popularizaram tornando-se parte essencial da mobília das casas. Desde então o consumo de filmes cresceu tornando-se parte do cotidiano de bilhões de pessoas. Mais recentemente, com o surgimento da Internet e dos smartphones, o número cresceu ainda mais. Isso porque agora podemos carregá-los na palma da mão e escolher onde e quando queremos assistir. Estima-se que um americano assiste em média 5.000 filmes em toda sua vida, mas esse número está em crescimento[4]. Acredita-se que até 2024, os conteúdos nesse formato vão consumir 74% de todo o tráfego da Internet e até 2028 o consumo de vídeos crescerá 6x mais[5].

De acordo com o IMDB, desde 1900 havia uma média de 2.577 filmes produzidos por ano em todo o mundo, mas na última década esse número mais que triplicou chegando a 9.387 filmes por ano. Porém, isso ainda não captura o incrível crescimento que está ocorrendo na indústria com a chegada da Internet e mais filmes sendo produzidos apenas para o meio digital[6].

Gráfico: Crescimento mundial na produção de filmes

Filmes e a Igreja Adventista

Logo que indústria cinematográfica iniciou, cristãos viram nessa mídia uma oportunidade para compartilhar o evangelho. O primeiro filme cristão produzido foi o “The Manger to the Cross or Jesus of Nazareth”, em 1912 e que foi filmado no Egito e na Palestina retratando a história de Jesus[7] . O primeiro filme da igreja adventista no mundo, não se sabe ao certo qual foi, mas na América do Sul se tem notícia de que em 1969 a igreja de Costín na Argentina produziu um filme, que mais tarde foi melhorado e distribuído pela Divisão Sul-Americana.

Esse  primeiro filme foi chamado de A Vitória Final e era baseado nos últimos capítulos do livro O Grande Conflito (https://www.feliz7play.com/pt/o-grande-conflito) que alertam para os eventos finais da história. Embora algumas experiências e curtas-metragens tenham sido produzidos após isso, foi somente após meados de 2017 que a igreja começou a produzir filmes sistematicamente em português e espanhol, para alimentar a demanda da recém-criada plataforma de vídeos Feliz7Play.com.  

Com o Feliz7Play.com, a igreja Adventista entendeu que:

1. Os filmes poderiam ser uma ferramenta importante para o evangelismo;

2. Os filmes poderiam ser usados para fortalecer o conhecimento bíblico dos adventistas;

3. Os filmes poderiam ser usados para comunicar valores morais e doutrinários às novas gerações.

Contudo, a Igreja Adventista não foi a única a entender o poder dos filmes. Até o momento, muitas outras igrejas tem criado plataformas de filmes e vídeos para compartilhar suas crenças como, por exemplo, os mórmons, os católicos e muitas igrejas pentecostais.

Os Adventistas, os filmes e o evangelismo

Na Igreja Adventista, o uso de filmes não é algo recente. A Revista Adventista de abril de 1939 descreve o Pr.Leo Halliwell utilizando recursos audiovisuais em suas viagens missionárias pelo rio Amazonas. Durante o dia ele cuidava da saúde física da população e a noite exibia filmes sobre a vida de Jesus[8]. O objetivo da Igreja Adventista no uso de filmes sempre foi o de usa-los como um meio e não como um fim em si mesmo, ou seja,  como método de evangelismo e não como entretenimento[9].

Atualmente, na era da comunicação digital, mais pessoas seguem assistindo os filmes adventistas e sendo impactadas por eles na Internet.  Por exemplo, o filme O Resgate, lançado em 2017, ultrapassou 1,4 milhões de visualizações no Youtube [10] e o filme Libertos 1,2 milhões de visualizações[11].  Algumas pessoas expressam alegria e gratidão ao entender de forma mais real o sacrifício de Jesus (assista as reações do filme O Resgate em https://youtu.be/mZcH8XCOSOY).  Ainda existem histórias interessantes de pessoas que se tornaram adventistas após assistirem os filmes. Você pode conferir algumas nos links abaixo:

Conclusão

As formas de se levar o evangelho podem diferir com o passar do tempo, mas o princípio da mensagem deve permanecer inalterado. No início do adventismo a mídia impressa com texto e imagens estáticas,  era o principal meio para influenciar pessoas e a igreja usou intensamente esse recurso. Mas, hoje temos várias ferramentas tecnológicas, que os pioneiros nunca sonharam, que levam áudio, imagens em movimento e geram maior impacto na vida das pessoas. O conselho inspirado para nossos dias é que a igreja aproveite todos os recursos à sua disposição a fim de cumprir a missão que Jesus deixou. “Novos métodos precisam ser introduzidos. O povo de Deus tem que despertar para as necessidades da época em que vive”. (Evangelismo, 70).

—-


[1] Horner, Grant. Meaning at the Movies: Becoming a Discerning Viewer (p. 16). Crossway. Edição do Kindle.

[2] Horner, Grant. Meaning at the Movies: Becoming a Discerning Viewer (p. 16). Crossway. Edição do Kindle

[3] https://sao-paulo.estadao.com.br/noticias/geral,fuga-de-ladroes-de-ouro-em-cumbica-foi-definida-48-h-antes,70002946201

http://g1.globo.com/planeta-bizarro/noticia/2013/07/ladroes-que-imitaram-filme-de-ben-affleck-vao-julgamento-em-ny.html

[4] https://www.usatoday.com/videos/news/2016/12/08/here’s-how-many-movies-average-american-watches-their-lifetime/95141584/

[5] https://www.viaccess-orca.com/blog/5g-video-effect-tv-industry

[6] https://www.quora.com/How-many-films-are-produced-each-year

[7] https://youtu.be/MOvHprlhV6M

[8] http://acervo.revistaadventista.com.br/readerPdf.cpb?ed=1020&pag=12&s=2928209536         

[9] https://noticias.adventistas.org/pt/coluna/rafael-rossi/ellen-white-dramatizacoes-e-filmes/

[10] https://www.youtube.com/watch?v=gXeVlGnBLp8

[11] https://www.youtube.com/watch?v=rbO2VqyWiGQ

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Crie um site ou blog no WordPress.com

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: